Eleição do Vasco pode ser anulada

O processo eleitoral do Vasco pode ser anulado. A eleição aconteceu em novembro do ano passado e estava sendo investigada.

A Delegacia de Defraudações da Polícia Civil encerrou o inquérito, que teve 21 depoimentos, sobre a votação e definiu que houve irregularidade no processo.

“As investigações concluíram que houve irregularidades na captação de sócios e na inserção deles na urna 7, beneficiando a chapa denominada ‘Reconstruindo o Vasco’, liderada pelo então presidente Eurico Miranda”, disse a Polícia Civil, em contato com o site UOL esporte.

Com essa confirmação, a Polícia Civil solicita a anulação do processo eleitoral no Vasco. O advogado Alan Belaciano é o responsável pelo pedido. Ele tem ligação com Julio Brant, candidato que perdeu para Eurico Miranda na segunda fase da eleição.

O inquérito da Polícia Civil descobriu problemas de alteração em datas de admissão de alguns sócios. Estes registros antecipados possibilitaram a votação de alguns sócios. Ele não registraram a escolha pela chapa de Eurico Miranda somente na urna 7, que não foi apurada por decisão judicial.

Além disso, o responsável pelo sistema dos sócios do Vasco, Sergio Murilo Paranhos de Andrade, foi indiciado pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica. O clube afirma que ele foi afastado em maio deste ano.

Foto: Jornal O Globo

O Vasco emitiu uma nota oficial se posicionando afirmando que seguirá colaborando com as investigações.

“A atual Administração do clube vê com normalidade os avanços da investigação citada, defende de forma intransigente a ética e a transparência e apoia o trabalho dos órgãos policiais e da Justiça. O clube, como sempre, coloca-se à disposição das autoridades para colaborar no que for necessário e reafirma seu interesse em que os devidos esclarecimentos sejam dados à torcida e aos associados”.

Foto de capa: Globoesporte